Sociedade Industrial
 

A indústria, em seu sentido mais resumido, é a atividade de combinar recursos e empregar instrumentos para atingir determinado objetivo, atividade que exige algum esforão mas retorna com algum benefício. Assim é permitido qualificar como indústria mesmo as atividades art?sticas como a pintura e a escultura, ou ainda a agricultura. Em Conseqüência disso, é possível afirmar que todas as sociedades, passadas ou presentes, apresentam características industriais. são exemplos históricos de atividades industriais a construção das pir?mides no antigo impôrio eg?pcio, assim como qualquer produção artesanal, seja ela árealizada na Gr?cia cl?ssica, entre os romanos ou hoje em dia. Mas, para fins de clareza, vamos considerar aqui a indústria exclusivamente sob seu aspecto aconômico, que também terá desdobramentos sociais.

O que nos permite qualificar uma sociedade como industrial é a predominância em seu interior desse tipo de atividade econ?mica. Este fenômeno de intensificação da atividade industrial, que recebe o nome de industrialização, surge historicamente nas sociedades européias do século XVIII, a partir de onde se expande para outros locais e chega até os dias de hoje. As condições que permitem a expansão do processo de industrialização não são consensuais na sociologia, mas ele sempre aparece ligado ao capitalismo. H? autores que enfatizam os aspectos aconômicos dessa ligação e outros que privilegiam aspectos sociais. Em todo caso, a caracterização da sociedade industrial através do seu processo de estabelecimento se faz necessária.

Nas sociedades industriais há a concentração das atividades de produção em grandes organizações empresariais, que tornam-se responsáveis por cada uma das etapas produtivas. Essa concentração está relacionada ao aumento da procura por bens proporcionado pelo comércio internacional. além disso, durante a industrialização, essas empresas se valem de descobertas científicas e inovações técnicas para aumentar a sua produtividade (quantidade de produtos sobre o tempo gasto para produzí-la). Acompanhando essas descobertas e inovações, há um processo de crescente especialização profissional, em que os homens passam a desempenhar um número cada vez menor de atividades relacionadas à produção, executando-as de maneira cada vez mais eficiente. Uma última característica das sociedades industriais é a utilização maci?a de recursos naturais, que levou alguns ecologistas radicais a classificar a industrialização como um processo de ?predação da Terra pelo homem?.

Neste ponto, pode-se concluir que continuar? havendo industrialização enquanto houver aprimoramentos a serem feitos, ou seja, indefinidamente. Apesar de ser bastante plaus?vel, esta suposição não nos garante a perpetuação da sociedade industrial. Como contraponto a esta idéia, podemos tomar a conhecida classificação da economia de um país quanto ?s suas três grandes ?áreas de atividades: primária, em que se colocam a agricultura e a mineração; secund?ria, na qual está a indústria; e terci?ria, composta pelos serviços. Alguns países apresentam hoje a maior parte de sua população envolvida no setor terci?rio, o que foi suficiente para alguns pensadores iniciarem a discussão de uma sociedade p?s-industrial, onde a multiplicação dos pap?is seria um argumento fundamental.

Fonte: Enciclop?dia Digital Master

Voltar